Andrey Guaianá Zignnatto abre individual no Museu Afro Brasil Emanoel Araujo - Janaina Torres

São Paulo Brasil

Andrey Guaianá Zignnatto abre individual no Museu Afro Brasil Emanoel Araujo

27 de abril de 2023 | 14:45
Alicerce, instalação projetada em 2020, é agora executada para a exposição à qual empresta o nome Alicerce, instalação projetada em 2020, é agora executada para a exposição à qual empresta o nome

A individual Alicerce, de Andrey Guaianá Zignnatto, tem abertura este sábado [29.4] no Museu Afro Brasil Emanoel Araujo, em São Paulo. Destacamos a instalação inédita que dá nome à mostra, uma casa pré-moldada de concreto, disposta sobre um conjunto de grandes vasos cerâmicos indígenas, a maior obra instalativa já produzida pelo artista. O projeto foi exposto durante a ArtRio 2020, dentro da curadoria um tempo-lugar que nos chama, pensada por Heloisa Amaral Peixoto para o estande da galeria. Agora, na exposição do Museu Afro Brasil, o projeto se materializa e, além dele, poderão ser vistos outros trabalhos do artista, em técnicas como vídeo, objeto, serigrafia e pintura.

Carregando…

O conjunto de obras expostas em Alicerce propõe uma revisão sobre o processo de desenvolvimento dos movimentos modernistas e contemporâneos da história da arte brasileira, no qual Zignnatto identifica uma constante apropriação de elementos das culturas indígenas que exclui, no entanto, os próprios povos indígenas, no que ele chama de “processo de grilagem cultural”.  

No dia da abertura, será realizada uma conversa entre o artista e Luiz Canê Mingué, o Kenké [chefe] do povo Dofurêm Guaianá, originário da cidade de São Paulo. A conversa será aberta ao público e terá acesso gratuito. 

Os espelhos dos Juruás, 2022, terra, acrílica, grafite, 50 x 30 cm (cada) Os espelhos dos Juruás, 2022, terra, acrílica, grafite, 50 x 30 cm (cada)

Alicerce | Andrey Guaianá Zignnatto
Abertura: 29.04.2023, às 13h   
Encontro com o artista: 29.04.2023, às 14h 
Museu Afro Brasil Emanoel Araujo 

Vista da exposição Alicerce, no Museu Afro Brasil Emanoel Araujo Vista da exposição Alicerce, no Museu Afro Brasil Emanoel Araujo
Leia Também
EXPOSIÇÕES & VIEWING ROOMS

Guilherme Santos da Silva

PRA VELA NÃO SE APAGAR

ENTES

As Maneiras Plurais de Existir

Êxtase

Giulia Bianchi, Mirela Cabral e Paula Scavazzini

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.

Aceitar